Três grupos são investigados pela Polícia Federal, dois em Porto Alegre e um em Ciudad del Este, no Paraguai.

 

A polícia Federal realizou na manhã desta terça-feira (19) uma ação contra o comércio e operação de receptores de TV via satélite. São investigados os crimes de contrabando, lavagem de dinheiro, associação criminosa, sonegação fiscal e estelionato, com a obtenção irregular de acesso a sinais de TV paga.

São cumpridos na Operação Satelles quatro mandados de prisão preventiva, três de prisão temporária, cinco conduções coercitivas (quando a pessoa é levada para depor), além de 10 mandados de busca e apreensão.

Dois dos grupos investigados estavam em Porto Alegre, e um terceiro tinha como base Ciudad del Este, no Paraguai. Eles são apontados como responsáveis pela comercialização de mais de 90 mil receptores em todo o Brasil nos últimos cinco anos.

Ainda conforme a investigação, o grupo teria sido responsável pela movimentação de R$ 35 milhões em contas bancárias pessoais e de terceiros nos últimos cinco anos.

Além das ordens de prisão, condução coercitiva e busca e apreensão, a Justiça determinou o bloqueio das contas bancárias e aplicações financeiras dos investigados, bem como dos endereços de internet que eram utilizados para a comercialização dos produtos contrabandeados.