Fosse ou não a sua mensagem verdadeira, se apareciam no topo da pesquisa Google tornavam-se imediatamente nos sites mais vistos. Agora, as regras do jogo mudaram.

 

A Google tem um novo objectivo e uma tarefa hercúlea em mãos. Acabar com as notícias falsas, as fake news. Ou pelo menos mitigar a sua propagação na esperança de que isto minimize o seu impacto junto da população. Para sites menos honestos sobre o seu país de origem a gigante tecnológica vai aplicar excluir a sua presença na aba “Notícias Google” com estas novas regras. Para nós, são boas notícias!

A tecnológica atualizou as suas regras de utilização e conduta para proibir os sites de denegrirem a imagem de certos países. Vedando também o acesso à aba Google Notícias para todos os sites que não declarem o seu país de origem. Abrangem ainda os sites que visam especificamente atingir (chegar a) um público de outro país de origem sob “falso pretextos e premissas”.

Por exemplo, um site russo que se tente mascarar de um site norte-americano para influenciar o sensível eleitorado já não aparecerá nos teus resultados da pesquisa. Muito menos na aba Google Notícias. Já estava mais do que na hora!

Sites que não declarem o país de origem será excluídos do Notícias Google. As regras são claras.

O mesmo se aplicará, por exemplo, a um site português que tente chegar a um público brasileiro. Aliás, foi uma mudança de paradigma que também começamos a sentir.

Curiosamente, os sites brasileiros continuam a aparecer no nosso “feed” do Google Notícias. É caso para dizer “algo de errado não está certo”. Por outro lado, enquanto publicações honestas quando ao seu país de origem e com as quais partilhamos um idioma, justifica-se a sua presença.

Um porta-voz da Google, em declarações à Bloomberg explicou que esta medida se tratava de uma questão de adaptação. A Google tem que adaptar as suas regras para que estas se adaptem à realidade da NET. Da mesma forma que o nosso enquadramento legal vai sofrendo alterações para se adequar à realidade social, também a gigante tecnológica atualiza as suas diretivas. Poderão consultar aqui as novas regras de indexação.

Desta forma, “os utilizadores saberão de onde é que as suas notícias online são provenientes“, tal como avança a porta-voz da empresa. Uma mudança bem-vinda, sem dúvida. Agora só falta a Google entender a diferença entre Portugal e Brasil. Resta saber até que ponto chegará esta campanha contra as “fake news” mas creio que esta ainda só agora esteja a começar. Finalmente!