Share
Definição de vários termos técnicos usados nas páginas da Mecânica Celeste, dentro do contexto de controle orbital.

Definição de vários termos técnicos usados nas páginas da Mecânica Celeste, dentro do contexto de controle orbital.

 

Este glossário fornece a definição de vários termos técnicos usados nas páginas da Mecânica Celeste, dentro do contexto de controle orbital.

  • APOGEU

    Ponto na órbita em volta da Terra onde o astro ou satélite tem o maior afastamento dela. Oposto de perigeu.

  • ATITUDE

    Orientação espacial de um satélite artificial.

  • BOX

    Intervalo angular máximo de controle de posicionamento orbital, em latitude e longitude, ou de orientação espacial de um satélite artificial.

  • CÍRCULO MÁXIMO

    Intersecção de um plano com uma esfera, passando pelo centro dela.

  • CONTROLE ORBITAL

    Manutenção de um satélite artificial dentro dos seus boxes de órbita e atitude por meio da execução de manobras de correção.

  • ESFERA CELESTE

    Esfera fictícia cujo centro e o raio são arbitrários e que contém todos os astros.

  • EXCENTRICIDADE DA ÓRBITA

    Elemento orbital que especifica a forma da órbita. Quanto maior a excentricidade, mais elíptica é a órbita (ver também órbita geoestacionária e órbita inclinada).

  • EQUADOR

    Círculo máximo da esfera terrestre perpendicular à linha que une os polos.

  • GMT (GREENWICH MEAN TIME)

    Também conhecido como Tempo Universal, corresponde ao tempo solar médio referido a um meridiano, que, por convenção, é o meridiano de Greenwich. Para converter de GMT para a hora de Brasília, devem-se subtrair 3 horas (ou 2 horas quando em horário de verão). Por exemplo, 16:00h GMT = 13:00h (ou 14:00h em horário de verão) de Brasília.

  • INCLINAÇÃO DA ÓRBITA

    Ângulo entre o plano da órbita do satélite e o equador (ver também órbita geoestacionária e órbita inclinada).

  • INTERFERÊNCIA DO SOL NAS ESTAÇÕES TERRENAS

    O satélite se movimenta numa órbita ao redor da Terra, a qual, por sua vez, se movimenta ao redor do Sol. As estações terrenas apontam suas antenas para o satélite, que parece estar fixo em relação à Terra. Em duas épocas do ano (em torno de março e setembro), o Sol, em seu movimento aparente no céu, passa por trás do satélite, provocando uma interferência nas antenas das estações terrenas. As previsões são dadas em horário GMT.

  • LATITUDE E LONGITUDE

    Coordenadas do sistema equatorial que têm como referências o equador e o meridiano de Greenwich. Latitude é o ângulo, medido sobre o meridiano local, entre o equador e o satélite ou a estação. Longitude é o ângulo, medido sobre o equador, entre o meridiano de Greenwich e o meridiano local.

  • MANOBRA DE CORREÇÃO

    Consiste de uma seqüência de disparos de um ou mais jatos de um satélite artificial de forma a alterar sua órbita e/ou sua altitude, para mantê-lo dentro dos seus boxes de controle orbital.

  • MERIDIANO

    Círculo máximo que passa pelos polos.

  • MERIDIANO DE GREENWICH

    Meridiano tomado como origem do Tempo Universal e que passa pela antiga sede do Observatório de Greenwich, na Inglaterra.

  • MERIDIANO LOCAL

    Meridiano que passa pelos polos e contém o satélite ou a estação.

  • ÓRBITA

    Trajetória que um astro ou satélite descreve em torno de um outro astro.

  • ÓRBITA GEOESTACIONÁRIA

    Órbita de um satélite em torno da Terra com inclinação e excentricidade nulas e com período orbital de um dia.

  • ÓRBITA INCLINADA

    Órbita de um satélite em torno da Terra com excentricidade nula cuja inclinação não é mantida próxima de zero. O controle desse tipo de órbita não leva em conta o boxe de latitude.

  • PERIGEU

    Ponto na órbita em volta da Terra onde o astro ou satélite tem o menor afastamento dela. Oposto de apogeu.

  • SOL MÉDIO

    Corpo celeste fictício que se move com uma taxa uniforme ao longo do equador, fazendo um circuito completo no mesmo tempo (um ano) que o Sol real leva para completar o circuito.

  • SATÉLITE ARTIFICIAL

    Corpo artificial que gira ao redor da Terra devido à força da gravidade terrestre. Pode ser usado para comunicação, pesquisa, observação, etc.

  • SATÉLITE GEOESTACIONÁRIO

    Satélite artificial cuja órbita ao redor da Terra tem inclinação nula (órbita no plano do equador), excentricidade nula (órbita circular) e período orbital igual a um dia, mantendo constante sua posição em relação a um ponto na superfície da Terra.

  • SATÉLITE GEOSSÍNCRONO

    Satélite artificial cuja órbita ao redor da Terra tem período igual a um dia, independendo dos valores de inclinação e excentricidade.

  • TEMPO ATÔMICO

    Tempo cuja unidade é o segundo atômico que tem a duração de 9.192.631.770 períodos de radiação correspondente à transição entre os dois níveis hiperfinos do estado fundamental do átomo de Césio 133.

  • TEMPO SOLAR MÉDIO

    Tempo baseado na rotação diurna aparente do Sol médio em torno da Terra.